3 motivos pelos quais vale muito a pena vender doces saudáveis

Imagine só poder cobrar duas a três vezes o valor que você cobra no seu produto tradicional. Imagine ainda, os clientes pagarem essa quantia felizes e agradecidos por você estar vendendo para eles. Parece bom de mais para ser verdade não é?! Com certeza teria muita gente para concorrer com você num negócio como esses... então... imagina se além disso tudo tivesse uma demanda que só cresce e uma concorrência muito pequena?!

Parece um sonho, mas é a realidade para quem trabalha com confeitaria saudável. Duvida? Vou te explicar então os três principais motivos pelo qual vale muito a pena vender doces saudáveis.


Motivo 1 - Demanda constante e crescente

O mercado da alimentação saudável tem crescido assombrosamente nos últimos anos, e o Brasil está na vanguarda deste crescimento. A alimentação saudável movimenta bilhões de reais todos os anos, não é uma moda, é um movimento que veio para ficar.


Motivo 2 - Clientes fiéis e agradecidos

Quem conhece pessoas com restrições alimentares, como diabéticos, celíacos, intolerantes à lactose e pessoas que evitam carboidratos sabe o quanto essas pessoas sofrem para comer. Isso por que tudo que se vende para comer em todo lugar está cheio de ingredientes proibidos. Há poucos lugares especializados ou com opções para esses públicos, e em sua maioria é comida industrializada. Diabéticos passam longos períodos sem comer um doce, por que tudo tem açúcar. Imagine só se você pudesse oferecer um doce seguro para esse cliente, e ele pudesse viver esta experiência de novo, despreocupado. Pois eu já fiz isso, ofereci alguns bolos diet para vários idosos que conheço que não comiam um doce há anos sem passar mal, e eles ficaram muito agradecidos. Me senti realizada. É para isso que sou confeiteira, para deixar a vida das pessoas melhor. Se fosse só para ganhar dinheiro eu estava vendendo Avon, ou no emprego de segurança que eu tinha antes.


Motivo 3 - Concorrência quase inexistente, por enquanto.

Apesar das oportunidades, é preciso algum esforço para trabalhar com estes doces. É muita informação, e muitos cuidados que precisam ser tomados. E é justamente por isso que a concorrência é baixa: as pessoas tem medo de mudar, de arriscar, mesmo a recompensa sendo grande.

Saber rotular, identificar cada tipo de produto, lidar com a contaminação cruzada, e testar receitas cheias de detalhes que vão te fazer gastar um bom tempo até acertar, são alguns dos motivos pelos quais as confeiteiras tem medo de se aventurar neste mercado. Mas é nas dificuldades que moram as oportunidades.

Eu entendo o medo de fazer alguma besteira, é preciso saber onde buscar informação. E para quem trabalha com confeitaria há três fontes de informação seguras neste caso:

1 - Revistas científicas da área médica e de nutrição: não estude em blogs de dieta, não leve em consideração qualquer opinião da internet. Busque na fonte mais confiável, na opinião dos cientistas da área de saúde e nutrição. Não nas reportagens, mas nas pesquisas científicas.

2 - Nas portarias da ANVISA: a Agência Nacional de Vigilância Sanitária é quem regulamenta nossa atividade, então seguir as recomendações da ANVISA não é opcional, é lei! Se não quer ter problemas é melhor fazer como manda o protocolo. Todas as portarias da ANVISA estão disponíveis gratuitamente na internet.

3 - Busque orientação de um profissional: encontre uma nutricionista, um engenheiro de alimentos ou alguém que seja um especialista formado na área para te ajudar a montar o cardápio e elaborar os rótulos. Não dá para copiar os rótulos de outras pessoas por que até se você muda a marca de um ingrediente as propriedades dos produtos finais também mudam. E lembra da ANVISA??? Melhor fazer isso direitinho...


Parece difícil não é?! E é mesmo, mas nada que valha a pena vem sem esforço e sem investimento de tempo e dinheiro. É isso que separa as pessoas que tem sucesso das pessoas que passam a vida reclamando que nada da certo para elas. Eu mesma, quando fui montar minas receitas, gastei uns 2 mil reais em ingredientes e fiz dezenas de testes até ficar do jeito que eu queria, isso sem falar que levou semanas. Mas valeu a pena o investimento por que agora tenho mais de 50 receitas testadas e aprovadas e que eu sei que agradam qualquer cliente, por que são praticamente indistinguíveis dos doces tradicionais.


Felizmente, eu não sou só confeiteira, sou professora também, então disponibilizo estas receitas no meu curso de Confeitaria saudável. Não só as receitas, mas também explico bem mastigadinho toda a parte teórica, tudo com as referências de artigos da área médica e das portarias da ANVISA que consultei para escrever o material.


Como de costume eu fiz um pequeno curso gratuito com três aulas com a parte introdutória do curso completo, e quem participou comigo gostou bastante. Fiquei muito agradecida pelo feedback positivo, é sinal que além de boas receitas tenho atingido meu propósito como professora: ajudar mulheres que querem empreender em casa trabalhando com confeitaria.


E saber que estas milhares de mulheres que aprendem comigo vão ajudar outras milhares de pessoas a comer melhor e levar uma vida mais feliz ao mesmo tempo, não tem preço. Este é o legado que eu quero deixar com o Lari doces dicas. Saber que muitas mães vão poder dividir um bolo com o filho intolerante, que muitos idosos, como minha avó, vão poder comer um bolo confeitado no seu aniversário sem se preocupar com os diabetes, e que muitas TPMs serão curadas com um belo brownie low carb, é maior que qualquer dinheiro que eu poderia fazer guardando em segredo só para mim as receitas que eu desenvolvi. Se você quiser saber mais sobre o curso e quais foram estas mais de 50 receitas, eu vou deixar o link aqui.


Do mais, só tenho uma pergunta a te fazer: você tem coragem de encarar a mudança?

1,742 visualizações0 comentário